menu-bgimg

What we can offer you

We provide detailed transactional data, cost benchmarks and in-depth analytics for participants in the wood raw materials supply chain.
  • Pricing Data
  • Benchmarks
  • Product Forecasting
  • Advisory Services
  • Analytics
Learn More

SilvaStat360 Platform

  • Price Benchmarks
  • Madison’s Lumber Reporter
  • The Beck Group’s Sawmill TQ
  • Timber Supply Analysis 
  • Global Economic Data

Explore Forest2Market's Interactive Business Intelligence Platform

Learn More

Industries

From biomass suppliers in the Baltics to pulp producers in Brazil and TIMOs in the United States, Forest2Market provides products and services for suppliers, producers and other stakeholders in the global forest products industry.

Learn More
x
 
Blog

Tendências das exportações do setor florestal brasileiro - Compensado

Agosto 17, 2018
Author: Marcelo Schmid

Ao observar a evolução histórica da exportação de alguns dos principais segmentos do setor florestal, percebemos que as tendências para todos eles, em maior ou menor grau, são de crescimento, tanto em valor quanto em volume.

Esse é o segundo artigo de uma série que a Forest2Market do Brasil desenvolverá nas próximas semanas sobre as exportações do setor florestal brasileiro. Cada artigo tem como tema um segmento específico desse setor. O primeiro artigo abordou o segmento de celulose e este segundo artigo focará nas exportações de compensado.

 

Análise Histórica

A partir de 2011, período pós crise internacional, o segmento de compensado apresentou um crescimento de 68% (9% a.a.) em valor e 123% (14% ao ano) em volume, fechando 2017 com US$ 621 milhões em exportações, o mesmo patamar encontrado antes da crise (figura 1).

 

Figura 1. Evolução histórica das exportações brasileiras de celulose

Brazil_Aug1Fonte: Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), adaptado por Forest2Market do Brasil

 

Conforme visto acima, as exportações estão crescendo. Entretanto, o ritmo de crescimento do faturamento não acompanha o mesmo ritmo de crescimento do volume. Isto porque os custos de produção do compensado subiram neste período, reduzindo a margem dos produtores. Além disso, há oferta de compensado no mercado externo, o que reduz os preços internacionais do produto.

 

Principais estados exportadores

São dois os principais estados exportadores de compensado: Paraná e Santa Catarina (Figura 2).

Esses estados ganham destaque por abrigarem um grande número de fábricas de compensado, as quais em sua maioria utilizam toras de pinus como matéria-prima. Vale lembrar que esses estados também são os principais em termos de área plantada com pinus no país.

 

Figura 2. Principais estados exportadores de compensado em 2017 (ton)Brazil_Aug2Fonte: Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), adaptado por Forest2Market do Brasil

 

Destinos

O principal destino do compensado brasileiro em 2017 foram os Estados Unidos, que importou mais de 331 milhões de toneladas deste produto.

Diferente da realidade do Brasil, o compensado é um produto muito utilizado pelos Estados Unidos no setor de construção civil, uma vez que a madeira é matéria-prima importante para a construção de residências no país.

 

Figura 3. Principais destinos do compensado brasileiro em 2017 (em volume)Brazil_Aug3

Fonte: SECEX

 

Quais são os drivers do crescimento das exportações de compensado?

São várias as razões que explicam o significativo aumento recente nas exportações do compensado brasileiro. Entre elas, se destacam:

  • Aumento da demanda no mercado externo, oriunda da demanda norte-americana e europeia, diretamente ligada à indústria de construção civil;
  • Câmbio favorável;
  • Políticas norte-americanas: A decisões do presidente Donald Trump acabaram indiretamente influenciando a demanda por compensados do Brasil. Entre essas decisões está a imposição de tarifas ao compensado chinês e à madeira serrada canadense.

Perspectivas

A expectativa da indústria de compensados é de que que o mercado global de compensado continue crescente, na onda da recuperação econômica e consequente crescimento do setor de construção civil em países como os Estados Unidos e do bom momento econômico vivido por diversos países europeus. Assim, do lado da demanda, o cenário para o resto de 2018 e 2019 é favorável.

Segundo a opinião de economistas a taxa de câmbio devem permanecer em um patamar alto (acima de 3,8), favorecendo as exportações. Porém, como estamos em ano eleitoral, é necessário manter certa dose de cautela e acompanhar de perto o efeito dos dois turnos de nossa eleição na flutuação da taxa de câmbio.

O preço da matéria-prima (toras de pinus) deverá continuar a subir, conforme a tendência que a Forest2Market do Brasil tem apresentado. Os produtores de compensado devem monitorar esse crescimento para poder identificar o momento correto de ajustar o preço do produto final, controlando assim a margem de lucro.

Saiba mais sobre os produtos e serviços da Forest2Market do Brasil

Back to Blog

You May Also be Interested In

Diretor da Forest2Market do Brasil fala à TV sobre mercado de base florestal e pandemia
No último dia 19, o diretor da Forest2Market do Brasil, Marcelo Schmid, deu entrevista ao programa Terra Viva, da TV...
Continue Reading
Abril 23, 2020
Diretor da Forest2Market do Brasil fala à imprensa sobre os efeitos do COVID-19
O diretor da Forest2Market do Brasil, Marcelo Schmid, deu uma entrevista recentemente ao jornal Valor Econômico...
Continue Reading
Abril 22, 2020
Efeitos do COVID-19 na Indústria florestal brasileira
Alguns players da Indústria de base florestal brasileira passam bem frente à crise econômica causada pelo...
Continue Reading