menu-bgimg

What we can offer you

We provide detailed transactional data, cost benchmarks and in-depth analytics for participants in the wood raw materials supply chain.
  • Pricing Data
  • Benchmarks
  • Product Forecasting
  • Advisory Services
  • Analytics
Learn More

SilvaStat360 Platform

  • Price Benchmarks
  • Madison’s Lumber Reporter
  • The Beck Group’s Sawmill TQ
  • Timber Supply Analysis 
  • Global Economic Data

Explore Forest2Market's Interactive Business Intelligence Platform

Learn More

Industries

From biomass suppliers in the Baltics to pulp producers in Brazil and TIMOs in the United States, Forest2Market provides products and services for suppliers, producers and other stakeholders in the global forest products industry.

Learn More
x
 
Blog

O mercado global de celulose e as perspectivas para o Brasil

Novembro 17, 2017
Author: Marcelo Schmid

O mercado nacional de celulose vive um momento interessante. No início do segundo semestre a Fibria – líder mundial na produção de celulose de eucalipto – iniciou a operação de seu novo projeto em Três Lagoas, Mato Grosso do Sul, ampliando a capacidade produtiva da instalação local de 1,3 milhão para 3,25 milhões de toneladas de celulose por ano e inaugurando assim a maior unidade industrial de celulose do mundo.

Em questão de semanas após o start-up da linha da Fíbria, o mercado foi mais uma vez impactado com a notícia da entrada de um novo player no país, a empresa Paper Excellence, que adquiriu a fábrica da Eldorado, no mesmo município de Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul. Embora a empresa compradora se apresente como uma empresa holandesa (com forte atuação no Canadá) sabe-se que ela pertence à família Widjaja, que é também controladora da Asian Pulp and Paper (APP).

É importante lembrar que a Eldorado, que deu início às suas operações em 2012, possui um projeto para ampliar a capacidade produtiva da planta de 1,7 para 4,2 milhões de toneladas de celulose. Com o início do processo de investigação do Grupo JBS, controlador da Eldorado, o projeto de ampliação ficou estagnado. Com o processo de transição para a família Widjaja finalizado, o que deverá ocorrer em 12 meses, espera-se que a ampliação seja retomada e, possivelmente, tenhamos a nova linha operando em 2020.

A estratégia da família Widjaja com a aquisição da Eldorado é clara: diversificação de portfólio, incluindo uma fábrica cujo custo de produção é um dos menores em todo o mundo, permitindo que a APP seja mais competitiva na Europa e América do Norte. Além disso, uma questão estratégica bastante importante para a empresa é a sustentabilidade. A produção de celulose de eucalipto em fazendas outrora ocupadas por criação de gado em Mato Grosso do Sul é ambientalmente muito menos impactante do que a produção de acácia em áreas recém-desmatadas na Indonésia, incluindo aqui áreas de turfa altamente ricas em carbono.

Paralelamente a tais notícias, 2017 tem sido um ano muito bom para a celulose brasileira. A demanda internacional continua aquecida e mesmo com a injeção adicional do volume produzido pela nova fábrica da Fibria, que poderia gerar uma desvalorização da matéria-prima, os preços continuam a subir e o segmento está recuperando resultados negativos de períodos anteriores. A figura 01 apresenta a comparação do volume exportado de celulose e receita entre os períodos de janeiro a setembro de 2016 e 2017. Percebe-se que enquanto o volume exportado aumentou em 4,2% a receita – em dólares - aumentou em 13,2%. Esse resultado ilustra bem o efeito do aumento do preço da celulose nos últimos 12 meses que, em média, foi de 34%.

 

Brazil_Nov_2017.pngFonte: Ibá e Forest2Market do Brasil

Figura 01. Comparação da exportação de celulose brasileira nos três primeiros trimestres de 2016 e 2017 (volume x receita)

 

Todos os fatores indicam um cenário favorável. O preço alto, o consumo crescente e a vantagem competitiva estão levando diversos players a analisar possibilidades de novos investimentos no mercado de celulose brasileiro. A possibilidade da segunda linha da fábrica da Eldorado perder seu lugar na “fila” de novas linhas de celulose nos próximos dois anos é concreta.

Nessa corrida ao ouro o estado de Mato Grosso do Sul deve manter seu papel de destaque. A Forest2Market do Brasil possui todo o suprimento florestal do estado mapeado, em termos de área de plantio, idade e volume. Considerando a demanda atual do estado, existe floresta em excesso para a instalação de uma fábrica de celulose com capacidade superior a 1,85 milhões de toneladas de celulose por ano.

Saiba mais sobre os produtos e serviços da Forest2Market do Brasil

Back to Blog

You May Also be Interested In

Diretor da Forest2Market do Brasil fala à TV sobre mercado de base florestal e pandemia
No último dia 19, o diretor da Forest2Market do Brasil, Marcelo Schmid, deu entrevista ao programa Terra Viva, da TV...
Continue Reading
Abril 23, 2020
Diretor da Forest2Market do Brasil fala à imprensa sobre os efeitos do COVID-19
O diretor da Forest2Market do Brasil, Marcelo Schmid, deu uma entrevista recentemente ao jornal Valor Econômico...
Continue Reading
Abril 22, 2020
Efeitos do COVID-19 na Indústria florestal brasileira
Alguns players da Indústria de base florestal brasileira passam bem frente à crise econômica causada pelo...
Continue Reading